Ex- SkinHead remove tatuagens do rosto com 25 cirurgias

O Norte Americano Bryon Widner, é uma prova viva de o quanto o ser humano pode se arrepender de seus atos.
Widner durante 16 anos foi um dos mais conhecidos racistas norte americanos, e membro de grupo SkinHead Neo-nazista, mas ao 32 anos ele resolveu mudar completamente sua vida e pretende criar seus filhos ensinando-lhes a tolerância e o respeito ao próximo. Mas uma coisa impedia sua transformação completa: Suas inúmeras tatuagens de cunho nazista e racista espalhadas por seu corpo, inclusive cobrindo boa parte de seu rosto.

Sem conseguir emprego em lugar algum, Bryon Widner, resolveu procurar ajuda junto ao Southern Poverty Law Center,(SPLC)  um grupo que monitora os grupos de ódios e tenta de alguma forma combater o preconceito. Através do SPLC, o ex-Skinhead conseguiu uma doação para que pudesse se submeter as cirurgias de remoção de tatuagens. Em troca ele irá ministrar palestras explicando como, com a ajuda do negro Daryle Lamont, dirigente do One's People, conseguiu deixar de odiar os negros.

Remoção de tatuagens


O processo de remoção das tatuagens do rosto de Bryon Widner demorou 16 meses, onde foram realizadas 25 cirurgias e custou cerca de 57 mil dólares.

A mudança de comportamento de Bryon Widner se deu em 2006, após se casar com Julie Widner, também Ex-militante White Power, mas seu passado ainda o perseguia na forma das imagens estampadas em seu corpo…uma navalha encharcada de sangue, suásticas, as letras 'ódio' estampada em seus dedos, todas essas tatuagens faziam as pessoas enxergar quem ele foi e não a pessoa que ele é agora.

Desesperado, Bryon buscou na internet formas de remover as tatuagens , mas infelizmente, a remoção de tatuagem da face de forma segura, é algo que raros cirurgiões se propõem a fazer devido as suas complicações e complexidade. Para piorar, Bryon não possuía nem dinheiro e nem plano de saúde.


Remoção de tatuagem


No auge do desespero, Bryon Widner, cogitou usar remédios caseiros a base de ácido para remover as imagens de seu rosto. Foi quando sua esposa Julie, apelou para algo impensado tempos atrás, procurou o ativista negro, Daryle Lamont Jenkins, que é inimigo jurado dos supremacistas brancos. Daryle, apesar do passado se seu antigo inimigo, não lhe virou as costas, pelo contrário, fez de tudo para lhe ajudar no recomeço de uma nova vida. E o indicou ao Southern Poverty Law Center (SPLC).

tatuagem no rosto


Muitos ex-skinheads procuram o SPLC, mas em sua maioria, são falsos arrependidos. São Fakes em busca de informações sobre o grupo, ou apenas arrependidos passageiros que retornam ao seu antigo grupo quando a “dor na consciência” se esvai.


Durante semanas o casal teve várias entrevistas com o SPLC, que se descobriu diante de um casal sincero e arrependido de seu passado.
Bryon Widner em 2007, junto com o pessoal do SPLC, deu uma palestra no Skinhead Intelligence Network, diante de policias de todo o EUA, contando sobre a estrutura e hierarquia dos grupos SkinHead.

tatuagens nazistas

Vendo a sinceridade de Bryon,  o SPLC, resolveu fazer uma “vaquinha “ para pagar as cirurgias.
Bryon  ouviu do cirurgião Dr Bruce Shack
“Você vai sentir como tivesse sofrido as piores queimaduras solares do mundo, seu rosto vai inchar-se como de um lutador surrado, mas irá se curar, 'Isso não vai ser divertido. Mas se você estiver disposto a fazê-lo, estou disposto a ajudar. "
De fato, Bryon Widner nunca sentira tanta dor em sua vida, e olha que ele estava acostumado a brigas com negros e policiais e nas penitenciárias onde cumpriu pena. Não era um frouxo, mas foi preciso se submeter a anestesia geral para continuar as sessões e a muitos analgésicos fortíssimo após elas. Seu rosto parecia aqueles plásticos de bolhas que embalam mercadorias frágeis, que tanto adoramos estourar… suas mãos estavam inchadas a tal ponto que pareciam luvas de boxes. E seu sofrimento durou por 16 meses e 25 cirurgias.


Novo Homem

A foto acima foi tirada após a exibição do documentário 'Erasing Hate' ( apagando o ódio) que conta a trajetória de Widner. Após a exibição, uma negra se aproximou de Bryon Widner, o abraçou e disse: Eu perdoo você.
Assista abaixo O documentário Erasing Hate” Ao final do vídeo, aparece as opções para as outras partes, basta clicar. Está em inglês, mas mesmo quem não entende inglês pode ver as imagens do processo de remoção das tatuagens.



2 comentários

tomara mesmo que esse cara tenha acordado para o amor.

Reply

Lição de vida. É tão bom saber de casos e pessoas assim.

O mundo está cada vez mais complicado, profuso e confuso, e cada vez mais diversificado, não dá mais para termos pensamentos e ações preconceituosas, racistas. Ao mesmo tempo que não aceitamos o próximo, é um sinal claro de que não aceitamos a nós mesmos. É complicado admitir, mas é mais vergonhoso ainda ter esses pensamentos e se achar dono da verdade e acima dos outros. Cada um de nós tem seus problemas, sua personalidade, suas qualidades, e porque não seus conceitos, filosofia, posicionamento e até pré-conceitos, alguns mais outros menos, alguns conseguem ter a mente, corpo, espírito e sentimentos livres e limpos disso tudo. Mas de qualquer forma é uma questão de caráter e de vontade de encarar a situação, de se amar mais, de amar o próximo, de respeitar para ser respeitado, de compreender e exercitar a cada dia gestos mais justos, bonitos e em favor da vida.

Não estamos sozinhos no mundo, devemos saber respeitar o lugar e as opções do outro, para sermos também bem aceitos, queridos e respeitados.

=)

Reply

Postar um comentário

Seu comentário é bem-vindo e esperado.
Lembre-se que comentários anônimos poderão ser moderados

Sports